quinta-feira, 11 de novembro de 2010

A Mão Esquerda de Deus e A Arte da Guerra

Em “A Mão Esquerda de Deus”, a guerra é algo muito presente. Thomas Cale, o nosso anti-herói, é um mestre nesse quesito. Em vários momentos do livro as estratégias utilizadas definiram muito o fim de cada situação. Claramente, isso é de vital importância, não apenas na guerra, mas também na vida. Até que ponto podemos nos inspirar nesse tipo de pensamento e aplicá-los no nosso dia-a-dia?

Ao tentarmos identificar quem poderia ou o que servir como exemplo de ligação “táticas de guerra – vida”, o primeiro nome que vem a cabeça é o de Sun Tzu. Esse chinês é considerado um dos melhores estrategistas militares de todos os tempos e é o autor de “A Arte da Guerra”, um dos livros mais famosos de todos os tempos. Apesar de tratar sobre táticas militares, pode ser considerada uma obra filosófica. Os 13 capítulos do livro passam ensinamentos como planejamento, estratégia, fraquezas e forças, manobras e muitas outras. E afinal, não visualizamos a todo o momento isso em nossas vidas?

Você já leu “A Arte da Guerra”? O que acha de aplicar essas filosofias na vida cotidiana?

2 comentários:

  1. Cale é simplesmente O CARA! Esse livro é sensacional. Já n aguento de tanto esperar o segundo livro! Enquanto isso, tô relendo O Mão Esquerda!!!

    A Arte da Guerra tb é um livrão. Claro que dá pra aplicar isso na vida real! Eu sempre aplico! =]

    ResponderExcluir
  2. Getúlio Albuquerque18 de novembro de 2010 05:53

    Sun Tzu é um exemplo a se seguido. Ele e Cale tem tudo a veeeer!

    ResponderExcluir